Textos Acadêmicos

Textos, matérias e curiosidades do meu período acadêmico.

Pensamento Alheio

Espaço reservado para outras cabeças pensantes

Teorias de Almanaque

Curiosidades, mundo bizarro, cultura pop e afins

Alguém que Admiro

Pessoas que admiro e que fazem parte da minha formação.

ArteCulturando

Comentários, fatos, fotos e relatos sobre teatro, dança, musica, cinema e todo tipo de arte.

Fatos

Assuntos que estão em destaque na mídia e fazem parte das conversas do povo.

Lugares Por Onde Andei

Passo a passo das minhas andanças por este mundo velho.

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

VALE DO CAPÃO – O INÍCIO

Eita!!! Pense numa viagem que não foi programada. Pense numa viagem que te tira do rumo, te deixa incomunicável e que aparentemente tinha tudo pra dar errado. Pense numa viagem sensacional. Pois, essa foi a impressão que tive no final das contas. Sem dúvidas, este foi um dos roteiros mais fantásticos que fiz na minha vida. Vale do Capão - Chapada Diamantina, este com certeza é um dos roteiros indispensáveis na vida de qualquer pessoa. Vamos lá!

Após um mês movimentadíssimo, finalmente me vi em período pleno para o gozo de férias. Não havia planejado nada de diferente. Eu queria apenas ficar em casa, de penas para o ar, deitado em minha cama assistindo Tv o dia todo na companhia da minha cadelinha, no fim de semana ver o love e, dar uma organizada nas coisas aqui de casa. Nada demais, era só isso que eu havia planejado para os meus 15 dias de sossego. Por um acaso, e tão somente por isso, minha coordenadora, amiga, irmã e conselheira para todas as horas, em conversa comigo através do Facebook, me convidou para acompanhá-la para uma viagem curta em família para o Vale do Capão. Detalhe: a conversa aconteceu na madrugada de quarta para quinta-feira e a viagem aconteceria na madrugada de quinta para sexta. Eu fiquei em êxtase! não somente pelo fato de ter algo para fazer no meu período de descanso, mas por causa da oportunidade de poder conhecer um lugar que é desejado por 10 entre 10 pessoas que conheço. Mesmo sem ter planejado, arrumei as malas e segui rumo ao Centro-Sul da Bahia.








VALE DO CAPÃO – DIÁRIO DE BORDO

Quando me referi a "aparentemente dar tudo errado" foi por dois motivos: a distância; o clima instável. De Salvador para a Cidade de Palmeiras, são aproximadamente 443 km, algo em torno de seis horas de viagem de ônibus. No trajeto existem três paradas: Feira de Santana, Itaberaba e Lençóis. A cidade fica entre os municípios de Lençóis e Seabra. Quando busquei informações sobre compra de passagens, encontrei apenas uma linha fazendo o trajeto: Real Expresso/Rápido Federal. Não existem opções de ônibus Leito, Semi-leito ou Baby Cama, rola apenas o Executivo tradicional e pronto! Isso faz com que a viagem torne-se desconfortável. Preferi viajar de madrugada acreditando que dormiria no caminho até a cidade destino, ledo engano! Alguns trechos da BR 242 estão esburacadas, transformando o tranquilo sono em pesadelo.

Passado o trecho de ônibus, de Palmeiras até o Vale do Capão, localizado no distrito de Caeté-Açú, são mais 18km de carro. Existem cooperativas de vans que fazem o trajeto sob o cus
to de r$10 por pessoa. O caminho é de terra batida, com vários buracos no percurso, mas a paisagem compensa qualquer coisa. É possível ver nesse trajeto alguns dos rios que cortam a região. Seguimos então para a pousada.

VALE DO CAPÃO – SOB A ÓTICA DO TURISTA

Chovia muito quando chegamos no Capão. Isso me fez pensar que durante nossa estadia por lá, a chuva permaneceria também. Como o local mantem um ar sustentável, a Vila é o único local que tem calçamento de pedras de paralelepípedo, as demais localidades são de terra batida. Quando chove a lama se faz presente. 
A minha primeira impressão era de que o local era “preparado” para turista ver. Várias lojinhas de artesanato local, roupas hippi
es e comidas naturebas. Ainda bem que só foi a primeira impressão! Com o passar dos dias isso foi desconstruído.

Outra coisa que me chamou atenção foi a quantidade de restaurantes, lojas e “centros” de cura e massagens
alternativas. Descobri posteriormente que o local em meados da década de 60 foi redescoberto por uma juventude influenciada pelo movimento hippie, que criou um misticismo em volta do Vale, de suas belezas naturais e sob as linhas da Nova Era. Até hoje o local é “ocupado” e visitado pela galera “Alternativa”, ambientalistas ou de pessoas filiadas a uma variada gama de estilos de vida fundados em crenças ecológicas. 

Achei o custo de vida lá um pouco alto. Vi simples camisas custarem de r$ 29 a 250 reais, licores dos mais variados sabores por r$25 a garrafa, cerveja Long Neck r$4 (se for comparar com a marca e com a distância dos Centros de distribuição até que o preço estava razoável). Vale lembrar que também tinha muita coisa em conta. A pousada custou r$25 a diária, uma pizza gigante de massa integral por r$45 e um café da manhã, farto e muito bom por r$11 em média. O rango em um restaurante de comida caseira também foi barato, curto de r$6 a 12 por pessoa, dependendo da fome de cada um. 

Para quem quer se isolar o lugar é ideal. Não tem operadora de telefonia móvel que consiga alcance naquela região. Telefone fixo existe, internet também. Mas as ligações só podem ser feitas por dois orelhões que ficam na frente do posto de saúde (pelo menos só vi esses dois) ou nos estabelecimentos comerciais e algumas casas da região. A internet pode ser acessada em algumas lan houses espalhadas pela vila ao custo de r$1 por 15 minutos de acesso. Tem também alguns bares e pousadas que oferecem o serviço via wifi. Lugar para se divertir não falta. As opções vão desde uma trilha, circo, bares até música eletrônica. 

Como o tempo de viagem foi curto, fizemos apenas duas trilhas. Uma para o Rio Preto e outra para Conceição dos Gatos. Na primeira, tivemos tudo que temos direito. Trilha no meio da mata, subida e descida de barranco, escaladas em pedra e por fim: um belo banho de cachoeira. As águas do rio preto é geladíssima! No fim do dia estava revigorado e com vontade de fazer outras trilhas disponíveis. 
A trilha para Conceição dos Gatos tinha uma pegada mais tranquilo. Caminho sempre reto, seguido de um córrego criado pelo dono do terreno, através da água desviada da cachoeira. Na cachoeira algumas piscinas naturais se formavam entre as pedras. Uma coisa chata, mas que em nada atrapalhava a trilha, eram os diversos tubos que a todo instante brotavam nas margens do riacho. Os moradores utilizavam desse recurso para levar agua até suas propriedades. Depois de um dia inteiro tomando banho de rio, era hora de comer! O local é bem servido de opções, tanto para os bolsos quanto para os gostos. Almoçamos num restaurante que tem vista panorâmica para a cachoeira, com pratos que vão de uma simples salada à carne de carneiro.

Por fim, no dia seguinte retornamos para Salvador. A viagem de retorno foi cansativa, mas revigorante por causa dos dias que recarregamos as baterias no local mais mágico da Bahia.

quinta-feira, 7 de março de 2013

E Esse tempo que não passa!

Hoje eu não chorei. Preferi ficar quieto e lembrar dos bons momentos que passamos juntos. A minha vontade de lutar por você é muito grande, mas tenho que ser cauteloso para não te perder de vez. Ouço a todo momento que preciso de tempo, que tenho que dar um tempo, que o tempo irá curar tudo, que o tempo é o que me resta. Mas que tempo é esse? de quanto tempo você precisa? por quanto tempo ficaremos longe um do outro?

São perguntas que não tenho as respostas, acho que nem você. De certo, só tenho um fio de esperança que me diz que tudo vai passar e que ficaremos bem. Torço tanto por isso. Meus dias estão tão vazios... minhas noites solitárias... mesmo quando não nos encontrávamos, ainda tinha aquela ligação no fim da noite e, no fim da ligação, um "eu te amo" de despedida. Sinto tanta falta disso. Sinto tanta falta de você.

A todo instante fico me policiando para não pegar o telefone e te ligar... preciso ouvir sua voz, preciso saber como você está. Mas volto atrás por não querer quebrar nosso acordo... o acordo do tempo. 

Hoje eu não chorei e espero não chorar amanhã também. Fico contando os dias para que tudo isso passe e que possamos recomeçar.

Yo soi tu alma, Tu eres mi aire...